Grupo Estação
home page
locadoras, cine-escola, histórico, ...
filmes em cartaz
links para os anos anteriores
links sobre cinema
lançamentos futuros
matérias já publicadas
mande sua sugestão

 


Compre seu ingresso agora!

receba a programação do Estação por email:

 






apresenta


AGORA TEM CURTA TODO MÊS.


O Espaço Unibanco de Cinema reservou uma sessão só para exibir curtas-metragens.
Confira curtas antes exibidos apenas em festivais e sessões especiais
ou que permaneceram inéditos.
Sempre na última semana do mês.

Pré-estréia terça, 28/12 às 21h

PRÓXIMA EXIBIÇÃO
de 31 de dezembro de 2004 a 6 de janeiro de 2005

BALA PERDIDA, de Victor Lopes
O JEITO BRASILEIRO DE SER PORTUGUÊS
, de Gustavo Melo
TRUQUES, XAROPES E OUTROS ARTIGOS DE CONFIANÇA
, de Eduardo Goldenstein

Ingresso: R$ 5,00 (meia-entrada: R$ 2,50)

Espaço Unibanco de Cinema
Rua Voluntários da Pátria, 35
- Botafogo

BALA PERDIDA
Duração: 14 minutos

Sinopse:
BALA PERDIDA é um filme sobre o trajeto de seis balas e as pessoas que elas cruzam durante um tiroteio no Rio de Janeiro.
Primeiro vemos apenas a mão que carrega uma arma. Depois, um assalto a um carro num sinal fechado leva o ladrão a fugir em direção a uma praça onde é perseguido por um policial. Começa um tiroteio. O tempo volta um minuto para revelar quatro histórias de pessoas que cruzam este confronto armado no meio de um dia normal. No príncipio de uma tarde de sol, acompanhamos de vários lados da praça o minuto de suas vidas anterior ao tiroteio. Pessoas muito diferentes entre si, todas expostas a uma bala perdida. Qualquer um pode morrer. Um advogado estressado que pára para comer um sorvete. Uma mulher que vai tomar um banho de sol. Quatro aposentados num jogo de biriba. Um vendedor ambulante e um casal de namorados adolescentes. Um doente terminal que acaba de tomar uma dose de morfina. Um policial e mais um dia quente no Rio de Janeiro. As balas voam pela praça. No final, cada uma chega a seu destino.

Ficha Técnica:

Direção e Roteiro: Victor Lopes
Direção de Produção: René Bittencourt
Assistente de Direção: Alice Lanari
Fotografia: Jacques Cheuiche
Som direto: Leandro Lima  e Ivan Capeller
Direção de arte: André Weller
Figurino: Domingos de Alcântara
Edição de Som: Aurélio Dias
Trilha original: Léleo Teixeira e Lucas Marcier
Pós-produção: Kika Brandão
2°Assistente de Direção: Pedro von Kruger
3°Assistente de Direção: Erick Oliveira
Continuistas: Olívia Rabacov e Michele Frantz
Produtora de Elenco: Carolina Condé
Coordenadora de produção: Carolina Romero
Platô: Marco Antonio Almeida (Marcão)
Assistentes  de Platô: Daniel Cruz, Marco Bittencourt, Ruy Vitório, Claudio Portugal
Assistentes Produção: Flavia Pamplona, Karla Bandeira, Amanda Diaz
Produção de apoio:  Nós do Cinema
Coordenação de produção Tv Zero : Luca Macedo
Maquiagem: Antônio Pacheco
Operador de câmera: Jacques Cheuiche
1°Ass de Câmera: Silvia Gangemi
2°Ass de Câmera: Cláudio Gustavo
Video-Assist: Tiago Rivaldo
Estagiária de câmera: Amara Barroso
Maquinária: Teco
Eletricista: Anderson Cabeça
Assistente de som direto: Bruno Espírito Santo, Marcel Costa, Bruno Silva
Ajudante de maquinaria: Lazaro Domingos
Assistente de elétrica: Ronaldo Costa
Assistentes  de Figurino: Masta e  Paula Stroher
Camareira: Lea Araújo
Contra-regras: Gegê e Marconi André
Efeitos Especiais: Mauro (M&M)
Mock-up: Lia Berbert

Elenco:
Camila Pitanga – Marina
Tuca Andrada - Daniel
Emiliano Queiroz -Seu Francisco
Letícia Isnard –Dora
Jogadores de carteado - Lucio Mauro, Rogério Cardoso, Danilo Menegale, Fernando José
Vinícius de Oliveira – estudante
Hylka Maria – Érika
Aramis Trindade – ceguinho
Marcelo Melo –policial
Marta Jordan –mulher assaltada
Carolina Condé-Carol Mello  


Produtores de Figuração: Gabriel Menezes e Joaquim Daniel
Pré-produção de Elenco:Marcela Honigman
Making-of: Adriana Otero
Still: Rodrigo Letier e Christoph Dubnitz
Tráfego: Brito
Segurança: Olimpio
Operadores de Chafariz: Antonio Carlos e Wilson
Assistente de edição: Isabel Vidor
On-line: Rogério Boechat
Estagiário de finalização: Arthur Sens e Vanessa Marques Arquivo: Paulo Amar
Supervisão de som: Aurélio Dias
Finalização de som: Maria Byington
Mixagem: Ulysses Lopes e Walton Mavignier
Estudio de Mixagem: VTI
Design gráfico: Visorama Diversões Eletrônicas
Trucagem: Movedoll
José Karini: como dono da Loja
Marcio de Freitas: Vendedor de Balas
Rodrigo Letier:  Seu ArlindoLINK / Artesanato Digital /Visorama
Renato Pereira, Adriana Copetti, Paulo Ricardo Nun es
Renzo Machado, Rosane Svartman, Shirley Cruz


O JEITO BRASILEIRO DE SER PORTUGUÊS
Ficção | De Gustavo Melo | 2001 | 15 min

Com Amir Haddad, Flávio São Tiago, Lúcio Andrey, Márcia Fredrico    

Sinopse:
Manoel, um português, proprietário de um típico bar no subúrbio carioca, tem sua vida transformada após a instalação de uma antena parabólica para transmitir  os jogos do campeonato brasileiro para seus fregueses.    

Ficha Técnica:
Produção Maria Correa e Castro
Fotografia Dib Lutfi
Roteiro Gustavo Melo
Edição Márcia Francisco
Som direto Edwaldo Mayrinck
Direção de arte André Santinho
Trilha original Rodrigo Saboya, Raphael Berendt
Festivais:
Festival Brasileiro de Cinema Universitário 2001
Festival de Cinema Brasileiro de Miami 2001
Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2001
Mostra Curta Cinema do Rio de Janeiro 2001

 

TRUQUES, XAROPES E OUTROS ARTIGOS DE CONFIANÇA
Curta metragem em 35mm, colorido, 15 minutos, dolby srd.

Sinopse:
No Largo da Carioca, centro do Rio, o encontro de alguns personagens das ruas – um mágico, um vendedor de bonecos de pelúcia e um vendedor de xaropes, levanta a questão da confiança entre os homens.

Produtora: Aion Cinematográfica Ltda.
Contato: Eduardo Goldenstein – tels 2286 1949 / 9649 1171 – e-mail: aioncine@imagelink.com.br.
End: Rua Voluntários da Pátria, 190/1007

Ficha Técnica:
Direção e roteiro: Eduardo Goldenstein
Elenco: Augusto Madeira e Cláudio Mendes
Direção de Fotografia: Mauro Pinheiro Jr, abc
Câmera: Mauro Pinheiro Jr e Lula Carvalho
Som Direto: Renato Calaça
Prod. Executiva e Direção de Arte: Katya Braga Goldenstein
Montagem: Flavio Zettel
Still: Ricardo Pimentel
Edição de som: Simone Petrillo
Participações especiais: Alexandre David, Alexandre Dacosta, Tibério Melo.

Release – prêmios recebidos: 
Este filme trata de um tema universal, a confiança (ou a falta de) entre os homens. Inteiramente filmado no centro do Rio de Janeiro, no Largo da Carioca e adjacências, e inspirado nos tipos que encontramos nas ruas, o filme tem um roteiro ficcional que se mistura à vida cotidiana da cidade, conferindo-lhe um tom documental.
O curta teve sua estréia na Mostra Internacional de Curtas de SP, em agosto de 2003, onde ficou entre os 10 favoritos do júri popular. Ganhou prêmios no Festival TIM de Belo Horizonte (melhor diretor), no Festival do Rio (menção honrosa júri ABD), e no Festival de Brasília (melhor roteiro e melhor atores), além do prêmio de realização, da RioFilme (edital 2002). Levou também o prêmio de melhor filme no Festival de cinema brasileiro de Paris, e melhor roteiro e melhor atores no Festival do Recife 2004. O filme fez parte da seleção oficial do Festival de Berlim 2004, onde foi exibido na seção Panorama, do Festival Cine Las Américas, no Texas, do Festival de cinema latino de New York, e do Festival de Huesca, na Espanha. Participou também do Festival Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira, em Portugal (2003), e está programado para o Festival de Bilbao, na mostra brasileira, em novembro de 2004.